Poeslim

se sou gulosa
deveria engolir palavras
dessas que sobram 
gorduras localizadas 
assim 
a poesia seria slim 
e a gula teria um estético 
fim

Vale da pena

fonte da imagem: google/wallpaper/barbed wire

está lá, do outro lado das farpas
de todos os arames que já me riscaram
como o 
urso
cheio de cicatrizes
ainda faminto
urro
insisto no outro lado da cerca carrasca
é lá que mora o vale
e a pena
a tinta da minha pena secou
não vale mais um rabisco sequer
mas não me arrisco a voltar à cerca
me rascunhar em arames
me esfarrapar nas farpas dos desejos
sou o urso que ainda urra
ávido
e dócil